domingo, 10 de abril de 2011

Miró


".....Procurava o essencial ou, melhor, o essencial saía-lhe das mãos como que por milagre. O essencial da cor, do desenho, da escrita. Porque Miró foi um dos pintores/escultores que, pintando ou esculpindo, mais escreveu. E que escreveu ele? Que tudo pode ser promovido, por toques de mágica, à categoria de objecto de arte, que nada é canónico, que arte e vida estão de tal modo entrosadas que é impossível saber onde acaba uma e começa a outra. A sua imaginação nem era imaginação, era um ritual de homenagem ao mundo maravilhoso que o rodeava.........É que ele sabia, como ninguém, que o homem é filho do menino."

Alexandre O'Neill (Uma coisa em forma de Assim- Miró, mirones ).

2 comentários:

Thiago Panda disse...

Oi!
Navegando por mares virtuais desconhecidos, logo que passei por aqui,vi que estava em casa!
Sou novo neste "unir-versos" blogueiros, mas com certeza voltarei para mais visitas ao seu cantinho!
Que tudo acabe em poesia! ( ou não acabe!rs)

régi disse...

Obrigada, Thiago! :)